A Arte de Contar HistóriasData de publicação: 24/04/2018

A Arte de Contar Histórias

Quem não gosta de uma boa história? Até adultos gostam de ouvir histórias que os impactam, desde que sejam bem contadas. Jesus mesmo foi o melhor artista na hora de contar histórias, não apenas para crianças, mas para adultos. Esse é um dos melhores métodos para impactar ouvintes.

Histórias interativas são mais valiosas que apenas "sermões expositivos". Quando uma história é bem contada, nos sentimos no lugar do personagem e sentimos uma pequena parcela do que ele "sentiu".

Segundo a psicopedagogia e a medicina, a emoção é uma forma de aprendizado. Vamos ver alguns exemplos:

Efeitos de som e Movimentos com gestos: Imagine falar a história de DANIEL NA COVA DOS LEÕES, fazendo os barulhos do leão, dele sendo jogado na cova, etc. Que tal pedir para as crianças repetirem? Ou contar a história das PRAGAS NO EGITO e fazer movimento das dores com úlceras ou das moscas?

História móvel: Troque de lugar à medida que a história troca de cenário.

História com tato: Deixe as crianças com faixas nos olhos e dê a cada uma objetos que são retirados de uma bolsa. Vá narrando a história e deixe elas descobrirem qual é a próxima palavra que será dita pela história. Devemos ressaltar que nesse caso, as histórias devem ser breves.

Cachecóis: Dar um cachecol ou tira de papel crepom a cada criança. Com ela, irão expressar estados de ânimo, personagens, ações e emoções.

Palavra Chave: Prepare bandeirinhas de cores ou cartelas com palavras-chave para serem levantadas quando o professor fizer uma pergunta ou mencionar uma palavra chave.

Arte dramática: Quando eu contava meditação para crianças de quatro e cinco anos, via que elas não gostavam, então decidi mudar a tática, passei a fazer com que elas contassem a história. Eu narrava a voz (mudando de voz de acordo com os personagens) e as crianças interagiam na história, fazendo gestos, sombras, etc. Uma outra sugestão é pedir para um grupo de adultos narrar a história e contracenar, além de achar engraçado, vão achar único.

Visita do Personagem Bíblico no Meu Clube: Algo que sempre faz sucesso, é pedir para alguém se vestir de um personagem bíblico e contar a própria história, levando objetos. Caso for alguém da diretoria, elas vão saber que não é o próprio personagem e vão se divertir com isso. As crianças podem até fazer perguntas. Nesse caso, a pessoa que se vestir, precisa realmente conhecer a história do personagem. Isso é excelente para trabalhar a especialidade PIONEIROS ADVENTISTAS.

Meditação Game: É a arte de contar uma história, mas fazer pausas para um joguinho entre uma parte e outra da história. Pode ser desde pausar para as crianças desenharem algo da história ou até um jogo de perguntas e respostas. Você também pode pedir para as crianças anotarem quantas vezes você vai repetir uma certa palavra, a equipe que acertar, ganha o ponto.

Uso de Objetos: O conceito é trabalhar objetos enquanto você narra a história, como por exemplo: Luvas, dedeiras, palitos de sorvete, mapas, flanelógrafos, imãs, blocos, etc. Poderá também usar objetos do tipo "Nariz grande" e "óculos escuros roxo". Existem também certos tipos de jalecos que você pode ir retirando objetos que são parte da história e vai narrando essas histórias para as crianças.

Canção: Um último exemplo é ensinar através de alguma música ligada a esse personagem. Depois você encerra falando um pouco sobre ele.

Podemos ver que crianças não gostam que você simplesmente abra e meditação e leia a história. Precisamos ser criativos, fazer o momento da meditação ser único. Com certeza, o seu aventureiro vai achar esse momento um dos mais divertidos da reunião.

Rafael Oliveira

Rafael Oliveira

Líder de Desbravadores

Rio de Janeiro/RJ

Regional de Deesbravadores - Associação Rio Sul - USeB