BATISMO DE JUVENILData de publicação: 16/08/2018

BATISMO DE JUVENIL

Um dos pontos mais controversos na visão de, principalmente, pais adventistas dentro do nosso clube é o batismo de um aventureiro. Não precisamos elucidar aqui a importância do batismo na nossa vida cristã. Entretanto, é na idade de aventureiro que começa o desejo pelo batismo. O desejo vai aumentando, assim como muitos questionamentos dos adultos. Alguns acham cedo demais pelo fato de achar que é um desejo sem profundidade e que pode acabar em apostasia. Qual deve ser a posição da liderança do clube com relação a esse tema?

Antes de tudo, precisamos analisar que o batismo é o começo, não um fim. No Livro de Marcos, capítulo 16:16, lemos o seguinte: “Quem crer e for batizado será salvo”. Ellen White, no Livro Orientação da criança (p. 490, e 491), expõe o seguinte: “As crianças de oito, dez ou, doze anos, já tem idade suficiente para serem dirigidas ao tema da religião individual”. Na obra: Só Para Jovens, de Ellen White (p. 95), encontra-se o seguinte: “Um coração jovem é uma oferta preciosa, o mais valioso presente que pode ser oferecido a Deus”. Mais diretamente, a nossa mensageira diz: “No dia seguinte, cinco meninos expressaram seu desejo de ser batizados. Era uma cena interessante ver aqueles meninos, todos de cerca da mesma idade e tamanho, lado a lado professando sua fé em Cristo”. (Perguntas que Eu Faria à Irmã White, p. 24, 25).

Podemos então verificar que além da salvação, o segundo ponto positivo do batismo é o vínculo e compromisso com a igreja. Uma vez batizada, a pessoa passa a se sentir (e realmente ser) membro daquela congregação, algo excelente para a autoestima. Mesmo se ela sair um dia da igreja, esse vínculo será usado pelo Espírito Santo para aumentar as chances de retorno dela.

Diretor e querido responsável, a responsabilidade do desenvolvimento espiritual dos nossos aventureiros é dos pais, mas somos uma excelente ferramenta de apoio. Aproveite essa chance de mostrar que o seu clube não é apenas um clube social, mas um clube missionário e evangelístico. No momento certo, o batismo deve ser incentivado e não desestimulado. Assim como no casamento, não é necessário saber tudo para ser batizado, é necessário apenas amar.

O segredo mesmo é analisar e buscar a sabedoria divina. Não seja duro em fechar as portas e censurar alguém, mas também não batize com pressa alguém sem preparo em busca de números. O melhor caminho é o estímulo, preparação e a tranquilidade. Se você errar em alguma coisa, prefira errar levando os nossos jovens e juvenis na direção de Cristo do que o afastando-o do batismo.

“Deixai vir a mim os pequeninos e não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus”. (Lucas 18:16)

Rafael Oliveira

Rafael Oliveira

Líder de Desbravadores

Rio de Janeiro/RJ

Regional de Deesbravadores - Associação Rio Sul - USeB