Você é um modelo moral para seus Aventureiros?Data de publicação: 04/05/2016

Você é um modelo moral para seus Aventureiros?

Querido líder do clube de Aventureiros, o tempo todo você está sendo observado por aqueles que te cerca e não é diferente dentro do clube. Nossos aventureiros estão atentos às mensagens que passamos a cada momento através de nossas palavras e ações. A partir desta realidade algumas perguntas vêm à nossa mente: Que modelo eu tenho sido para as crianças que me observam? Tenho eu agido de maneira correta? Tenho sido um modelo moral que vale a pena ser imitado?

Na educação de crianças muitos comportamentos são ensinados por regras. Veja alguns exemplos: “Lave as mãos antes de comer.”; “Use um casaco porque está frio e se você não se proteger vai ficar doente.”; “Escove os dentes para não ter cáries.”; “Estude para conseguir uma boa profissão.” Tenho certeza de que você já pensou em um monte de outras regras com as quais conviveu em sua infância. Algumas delas, certamente, se referiam às regras morais. Por exemplo: “Empreste o brinquedo para seu colega brincar também”, “Não interrompa o papai quando ele estiver conversando”, entre outras.

Seu aventureiro aprenderá a ouvir as pessoas com atenção. Se você trata bem as pessoas, seu Aventureiro aprenderá a fazê-lo também.

Retomando a pergunta chave que intitula este texto – Você é um modelo moral para seus aventureiros? –, quero concluir apresentando algumas dicas (adaptadas de Weber, 2009, p. 127) para você se tornar um modelo moral para os aventureiros com os quais você convive:

• Aja como você gostaria que seu aventureiro agisse. Se a regra é diferente para adultos e crianças, explique.

• Aja com seu aventureiro exatamente como você gostaria que outras pessoas agissem com ele.

• Treine comportamentos de autocontrole, pense, conte até 20, saia de perto, mas não ofenda, não grite, não humilhe.

• O clima em seu clube deve ser um “porto seguro”, onde as pessoas que compõem o clube querem voltar e onde se sentem amadas e seguras.

Tudo isso deixa claro para mim que temos uma super-responsabilidade ao lidar com nossos aventureiros. Isso pode nos assustar! Mas lembre-se, o mesmo Deus que chama é Aquele que capacita.

Jesus foi o maior exemplo de comportamento moral que podemos identificar na história da humanidade. Podemos nos aproximar dEle e permitir que suas regras e a observação de sua forma de agir moldem nosso comportamento. Se isso acontecer, tenho certeza que nos tornaremos exemplos morais e, mais do que isto, pessoas que conduzem outras pessoas para o Salvador. Esta é nossa maior missão!

Referências Bibliográficas: Weber, L. (2009). Eduque com Carinho: Equilíbrio entre Amor e Limite. Para pais. 3ª ed. Curitiba: Editora Juruá.

Nalva Martins

Nalva Martins

Líder de Aventureiros

Natal/RN

Missão Nordeste UNeB