Descendo os degraus da hierarquiaData de publicação: 20/02/2018

Descendo os degraus da hierarquia

Você com certeza conhece alguém que foi picado pelo mosquito da hierarquia. Será que não? Já se perguntou se você também não foi? Receber uma promoção no trabalho é muito bom, principalmente quando ela é acompanhada de um aumento bem gordo e responsabilidades magras. Não é? Mas, e quando a escalada não é na hierarquia profissional e sim no nosso ministério? Você, caso tenha entrado no clube nas idades iniciais, certamente passou pelos cargos de secretaria e capitania de unidade. Possivelmente assumiu o posto de conselheiro(a) e provavelmente serviu na capelania, secretaria e tesouraria do clube. Mas, quando a função é mais alta um pouco – na hierarquia somente, é claro – e já não há tantas vagas? Ser diretor(a) associado(a), diretor(a), distrital ou regional já lhe confere alguma “moral”, não é? Mas, como eu disse: as vagas são limitadas. Chegar a algumas dessas posições exige, na maioria das vezes, uma boa capacitação e treinamento, acompanhados de alguns dons, embora, me perdoem a franqueza, em algumas é suficiente que a pessoa tenha um bom número de amigos ou familiares na comissão de nomeação. Mas chegar não é o problema. A onça bebe água quando é necessário sair. Sem rodeios eu gostaria de deixar claro que cargo nenhum dentro do ministério dos Desbravadores tem cadeira cativa. Ninguém tem escritura ou decreto que lhe possibilite se perpetuar em determinada função, mas não é difícil encontrar membros de nossas fileiras que ocuparam o mesmo cargo durante um grande período se ofenderem por não conseguirem permanecer um ano mais e chegarem ao extremo de deixar o clube por conta disso. Olha o mosquito da hierarquia atacando. Você, certamente cresceu dentro do clube tendo alguns líderes como espelho e de repente passa a não mais vê-los em atividade quando deixam sua função de diretor ou coordenador. Eu passei por isso e hoje me pergunto onde estão esses bravos guerreiros que tanto me inspiraram? Possivelmente alguns deles já não colocam o lenço a anos. Infelizmente há pessoas que consideram descer um degrau na hierarquia como uma perda de status, como um desrespeito à sua honra como líder. Estar distante dos holofotes é doloroso para quem considera cargo como privilégio e não como um dever. Não devemos nos esquecer que nesse ministério nós trabalhamos para Cristo e que “convém que Ele cresça e que eu diminua” (João 3:30). Cada vez que você se sentir picado pelo mosquito da hierarquia, dê uma lida nesse versículo e medite sobre ele e tenha em sua mente que se o cargo que você ocupa é mais importante em sua vida do que a função que deve desempenhar, me perdoe, mas é melhor repensar sua liderança. Se você prefere deixar o clube caso precise descer um ou dois ou dez degraus na hierarquia, se o teu orgulho e o status que você acha que tem são mais importantes do que os objetivos desse ministério, que o Senhor te repreenda por tua soberba e encha teu coração de humildade, antes que os pequenos se corrompam com esse mau exemplo. Se Cristo se ajoelhou para lavar os pés dos discípulos, você consegue descer um degrau ou dois sem prejuízo nenhum.
Pablo Rios

Pablo Rios

Líder Máster Avançado de Desbravadores

São José do Jacuípe/BA

Coordenador Regional | MBN /ULB