Faça mais fazendo menosData de publicação: 14/05/2018

Faça mais fazendo menos

Você com toda certeza já tentou acumular um monte de funções em determinado projeto. Eu já, e sabe o que aconteceu comigo (e talvez com você)? Esgotamento físico, psicológico e um imenso sentimento de insatisfação com o empreendimento em questão. E com o evento? Na certa alguma coisa ficou faltando e algum improviso foi feito para tapar o buraco. Pois é, eu compartilhei várias vezes desse tipo de situação que nós não queremos repetir. A solução é fazer menos para fazer mais: delegar funções, que talvez seja um assunto um tanto gasto, mas que sempre vale a pena repetir.

Assim como Jetro aconselhou Moisés a dividir a carga dos julgamentos em Israel designando chefes de grupos grandes e pequenos para que até ele chegasse apenas os casos mais complicados, criou talvez o primeiro sistema de instâncias judiciais que se tenha conhecimento e também nos deu um excelente exemplo de delegação de funções. Na África antiga, quando uma tribo abatia um elefante, tentavam levá-lo inteiro para a aldeia, o que demandava muita gente e uma logística complicada de troca de carregadores, até que perceberam que dividindo o elefante em pedaços eles necessitariam de menos gente e menos tempo, pois eliminava-se o peso e a quantidade parada para descanso. Nós, enquanto líderes, precisamos aprender a fatiar o elefante e dividi-lo com o nosso pessoal.

É muito comum, que quando acumulamos muitas atribuições, sintamos não só um peso exagerado, mas também uma noção de que estamos abandonados e não temos ajuda. Passado o evento (ou seja qual for o projeto), contabilizados erros e acertos, por mais que tudo no geral tenha sido muito bom, sempre teremos aquela sensação de que algo não deu certo por uma ou outra falha. Evite isso delegando o máximo de funções possível e assim você estará fazendo menos, mas no fim das contas terá eliminado mais da margem de erro e terá realizado mais com o grupo.

Apenas tenha cuidado para não cair no erro do subgerenciamento, deixando todo mundo à vontade para agir sem supervisão e sem se reportar a você para aquele feedback básico e necessário. Você deve delegar o máximo de funções ou atribuições possíveis e gerenciar o desenvolvimento de tudo o máximo também. Acompanhe todos os processos interferindo apenas onde precisar, estabeleça prazos para que cada responsável passe um relatório do que está sendo feito e em que estágio de execução está. Os riscos de erro serão minimizados e a insatisfação posterior a algo que deu errado será mínima, assim como o sentimento de culpa.

Mas lembre-se: jamais fatie o elefante para ter a quem culpar pelas falhas. Faça tudo pelo bem e contentamento coletivo. Tire a carga de si e divida-a. Não tente ter destaque fazendo demais, pois o excesso de atribuições também conferem uma imagem de soberba. Seja menos para ser mais onde realmente importa. Faça mais fazendo menos e tudo será sempre mais.

Pablo Rios

Pablo Rios

Líder Máster Avançado de Desbravadores

São José do Jacuípe/BA

Coordenador Regional | MBN /ULB