Não somos apenas númerosData de publicação: 22/03/2018

Não somos apenas números

Um dia, Cristo disse “ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28:19). Essa missão dada a todo aquele que ousar ser seu seguidor é a cereja do bolo de sua missão e sua filosofia. Cristo pregou o amor ao próximo e a vinda de seu Reino; com sua morte, possibilitou o acesso ao caminho para esse Reino; e por fim, responsabilizou a cada um de nós de propagar esse amor, a recompensa e o caminho para ela. Mas, estamos cumprindo fielmente essa missão ou estamos focados somente na segunda parte dela? Nosso trabalho nos Clubes está sendo feito com qualidade ou apenas gerando números?

Na convenção de líderes de Desbravadores e Aventureiros da ABaC, realizada no ano de 2009, o Pastor Paulo Iglesias Bravo falou em sua palestra que tudo o que fazemos dentro de nosso ministério é uma desculpa para levar crianças e juvenis para o céu. Absolutamente tudo: acampamentos, nós e amarras, desfiles, classes, camporis, etc., não mais são do que chamarizes para apontar a direção do céu para nossos membros e suas famílias. Fato mais do que comprovado que nossos clubes são eficazes ferramentas de evangelismo, mais do que qualquer caravana, projeto, ou seja qual for o departamento da Igreja. Temos o diferencial da convivência, do envolvimento, do preparo, da construção do caráter e com certeza, não menos e nem mais importante, a diversão, que a despeito de qualquer opinião em contrário, é sim um método de atração para o evangelho, e bastante eficiente.

Sim, essa é nossa tarefa e um de nossos ideais, o Objetivo, Salvar do pecado e guiar no serviço é baseado justamente no ide, que se resume em discipular e batizar. Todos os anos, uniões, Campos, Áreas, Regiões, Distritos, Pastores, Anciões e Clubes elegem um alvo de batismo de Desbravadores e Aventureiros para a primavera e para alcançar essa meta dispendem esforços, estratégias e energia, sempre com falas carregadas de palavras animadoras, voltado para o alvo estabelecido. Quando o assunto é diretamente os Clubes, a intenção de estruturá-los, colocá-los para funcionar e capacitar sempre é acompanhada do discurso: batizar muitos na primavera. Isso é muito preocupante.

Mas espera aí: nossa missão não é essa? Nosso objetivo? Nosso chamado?

Batizar é parte de nossa missão, objetivo e chamado. No versículo bíblico citado no início deste texto nós podemos ver claramente duas missões: discipular e batizar. Em nosso objetivo temos: salvar e guiar. Infelizmente muito de nossos esforços têm sido direcionados somente para o crescimento do número de membros, apenas para o batismo e muito pouco para o discipulado e batizar sem discipular não cumpre o “ide” e nem tampouco o objetivo.

Nossos clubes não são fábricas de membros e não podem ser utilizados, seja por pastores, evangelistas, anciões ou mesmo diretores, para simplesmente melhorar a estatística de batismos da Igreja, Distrito e Campo. Através de nossa filosofia e nossos programas de crescimento, não visamos apenas entregar um certificado para nossos meninos e meninas e sim capacitá-los a estarem prontos para encontrar Jesus Cristo e para ensinar outros a fazerem o mesmo. Não pretendemos apenas trazer membros e sim bons membros, capazes de permanecer na fé e de trabalharem para trazer outros, pois o batismo por si só não garante a salvação de ninguém.

Encarar o batismo como suficiente na pregação do evangelho é negar não somente nossa capacidade enquanto servos de Deus, como é também negligenciar parte do chamado para o qual fomos escolhidos. O ponto final de uma evangelização não é quando a pessoa desce às águas, pensar é assim é o mesmo que plantar uma semente deixá-la à própria sorte sem cuidados e cultivo. Nossa missão quanto à salvação de nossas crianças, juvenis e adolescentes só irá terminar quando Cristo estiver descendo das nuvens do céu e nós então tivermos a oportunidade de passar o comando de nossos clubes e unidades para Ele, nosso Líder maior.

Por favor, não nos tratem como se fôssemos apenas números. Nós queremos trabalhar com quantidade de qualidade, queremos cumprir o “ide” discipulando e batizando, queremos cumprir nosso objetivo salvando do pecado e guiando no serviço até que Cristo volte.

Pablo Rios

Pablo Rios

Líder Máster Avançado de Desbravadores

São José do Jacuípe/BA

Coordenador Regional | MBN /ULB