Opa! Vá com calma, mas váData de publicação: 17/07/2018

Opa! Vá com calma, mas vá

E surge um problema. A quem as pessoas irão procurar mesmo? É claro que vai ser a você, líder, cabeça do grupo e provavelmente mais experiente que a maioria. Talvez não seja um problema urgente, mas se há algo que aprendi em todos esses anos é que problemas só servem para aprendizado e mais nada. Portanto, mesmo não sendo urgente, trate-o como se fosse ou ele irá crescer, frutificar e fincar raízes grossas e fundas. Não há razão alguma para protelar a resolução de problemas, mas, dotados por excesso de autoconfiança, muita gente acaba deixando para depois e o depois custa caro.

Toda resolução de problema pede uma mudança de comportamento e é confiando em sucessos anteriores, que muitos líderes confiam demais em seu taco e passam a cozinhar a situação em banho Maria, pois acham que mais uma vez irão fazer todo mundo despertar milagrosamente e tudo vai ficar bem. Essas pessoas “superestimam o quanto podem impulsionar grandes mudanças em uma organização e subestimam a dificuldade de retirar as pessoas de suas áreas de conforto”. Se há uma coisa que precisamos entender é que nenhuma situação é igual a outra e mesmo conhecendo muito bem o seu grupo, zona de conforto é um lugar cada vez mais difícil de deixar. E a complacência só irá deixar essas pessoas mais e mais satisfeitas com inércia em que vivem.

Por favor não entenda que estou dizendo que autoconfiança é um erro, pois o que quero que você perceba é que ela deve sempre vir acompanhada de responsabilidade. Imagine que um morador de uma rua pouco habitada tenha o costume de sempre deixa a porta trancada quando sai para trabalhar e que em anos nesse hábito, jamais percebeu qualquer tipo de tentativa de roubo em sua casa. Mas um dia, quando decidiu ir compra pão, uma tarefa que de demoraria não mais do que dez minutos, achou que poderia deixar o portão sem trancar e quando voltou, sua casa havia sido assaltada. O ladrão com toda certeza não passou anos vigiando as saídas daquele sujeito, mas não teve dúvida do que fazer quando teve a oportunidade.

Se você entendeu o que eu quero dizer, já está ciente de que não importa quantos problemas você tenha presenciado e resolvido em sua liderança, pois nenhuma situação é exatamente igual a outra para que você se dê ao luxo de achar que tudo está sob seu controle.

Não seja complacente, se apareceu um problema, resolva. Muitas pessoas “sentem-se paralisadas pelas possibilidades desvantajosas associadas à redução da complacência: pessoas na defensiva, pouca confiança e resultados inexistentes no curto prazo” e por isso preferem manter a situação como está e vão empurrando o problema com a barriga, achando que o tempo resolverá tudo sozinho e a imagem de líder legal permanecerá. Infelizmente o tempo não é capaz de resolver tudo, muitas vezes ele apenas vai encorpar a situação, tal como aquela sujeira que varremos para o canto do quintal e decidimos deixar para depois. Varremos novamente e ao invés de limparmos tudo, apenas acrescentamos um pouco mais de lixo ao que já existe e deixamos para lá. Mas permanece ali e por mais que evitemos tirar por achar que será difícil e chato, fazer isso só tornará o trabalho mais difícil e chato e quando formos realmente resolver a situação, o monte de lixo já estará muitas vezes maior, fedido e podre.

Por outro lado, não confunda “urgência com ansiedade e, deixando-se levar pela segunda, afundam as pessoas mais e mais em suas trincheiras e criam uma resistência ainda maior à mudança”, pois superestimar a própria capacidade e subestimar o nível de apatia e descompromisso alheio são dois erros que você não pode se permitir de cometer. O excesso de autoconfiança é uma faca de dois gumes, pois paralisa na hora da ação as pessoas que já estavam acomodadas graças à complacência com que foram tratadas, como pode criar a ilusão de que tudo está bem e pode ser resolvido depois. É um ciclo vicioso. Nada de ansiedade, nada de complacência. Saiba agir. Vá com calma, mas vá.

Sugestão de leitura: As citações do texto acima são do livro Liderando Mudanças. John P. Kotter. Editora Elsevier.

Pablo Rios

Pablo Rios

Líder Máster Avançado de Desbravadores

São José do Jacuípe/BA

Coordenador Regional | MBN /ULB