Vamos ao culto?Data de publicação: 23/12/2016

Vamos ao culto?

Cresci tendo muitos bons exemplos entre professores, pais, avós, demais familiares, professores, pastores, líderes, amigos e gente que já havia morrido bem antes de eu nascer, cujos nomes posso destacar aqui: Gandhi, Martin Luther King, além dos heróis bíblicos. Com essas pessoas, aprendi muito pelo observar e ouvir falar. Mas em contrapartida, também tive inúmeros maus exemplos. Para minha vergonha, tenho ciência de que já fui uma péssima referência e sem querer transferir culpa a ninguém, afirmo que agi muito pelo que também observava. Fui um adolescente questionador, que ficava vermelho de raiva quando estava nos retiros espirituais e era mandado entrar para o culto enquanto observava anciões batendo papo do lado de fora.

Perambulei bastante do lado de fora do culto durante muitos anos até que percebi que aquilo não estava me fazendo bem. Por mais que fosse um sermão maçante de fazer dormir a todos, eu passei a entender que meu lugar é dentro das programações espirituais enquanto elas acontecem, pois meus liderados estarão me vendo e sabendo que ali também é o seu lugar. “Macaco vê, macaco faz”, diz um velho adágio popular. A mensagem pode até não me preencher ou interessar, mas como líder, tenho que dar o exemplo e mostrar como se faz àqueles que me foram confiados.

Ainda hoje, percebo muitos líderes em animadas rodas de conversas paralelas ao culto em nossas convenções, reuniões e demais eventos. Tais pessoas parecem enxergar essas ocasiões como uma chance de rever amigos, colocar papos em dia e fazer aquela resenha de acampamentos passados, muitos usando a desculpa de estarem discutindo assuntos do próprio evento, enquanto seus liderados assistem o culto. Seja qual for a desculpa, ela não servirá para o liderado, que certamente tomará as atitudes de seus mentores como corretas. O líder deve assistir aos cultos, programações espirituais junto aos seus liderados e seja qual for a tarefa, pode ser deixada para depois. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua Justiça” é com certeza uma máxima conhecida por todos.

Cargos e lenços de líder não são um salvo conduto de entrada no céu, mas um contrato de exemplo a ser seguido que assumimos com Deus. Eu sei que é difícil, pois também tenho que fazer esforços, mas se cremos que Deus capacita os seus escolhidos, sabemos que não é impossível. Para ser um bom líder, há um caminho a trilhar, creio que ir ao culto em nossos eventos é um dos passos mais fáceis. Vamos tentar?

Fotografia e modelo: Claudio Junior: https://goo.gl/0bH8ug

Pablo Rios

Pablo Rios

Líder Máster Avançado de Desbravadores

São José do Jacuípe/BA

Coordenador Regional | MBN /ULB