Decolando sem visibilidadeData de publicação: 05/12/2018

Decolando sem visibilidade

Você já viajou de avião? Eu já, algumas vezes. Numa viagem assim, há vários momentos que podem ser marcantes para quem viaja pela primeira vez ou mesmo para alguém acostumado. Talvez a decolagem ou a aterrissagem, ou então quando a aeronave se inclina para o lado para uma curva brusca. Talvez a demonstração sobre as máscaras de oxigênio e saídas de emergência (não se esqueça que o assento pode ser usado para flutuar). Pode ser inesquecível enfrentar uma turbulência ou quando por algum azar você tem um piloto não muito experiente que se aproxima do aeroporto como se estivesse numa montanha russa. Ou ainda você seja o tipo que espera ansiosamente o momento em que os comissários de bordo trazem os lanchinhos...

Certa vez, me lembro de ter ficado bastante preocupado se o avião em que eu estava iria de mesmo decolar. O problema era o mau tempo. Chovia bastante e havia tanta neblina que estava difícil até me deslocar até o aeroporto. Ainda no solo, quando entrei no avião e olhei pela janela, não enxergava muito mais além das próprias asas da aeronave. Era realmente uma situação segura? Será que o piloto saberia o que fazer? Como eu poderia ter a certeza de uma viagem segura se nem dava para ver a pista direito antes mesmo de sair do lugar?

A decolagem foi autorizada e eu não podia fazer nada mais além da costumeira oração antes de cada aventura e então confiar no poder de Deus e nas habilidades do comandante. O fato foi que o avião decolou sem nenhuma dificuldade e em poucos minutos eu pude olhar novamente pela janela e ver as nuvens, a chuva e a neblina ficando para trás, bem abaixo do avião, que atravessou tudo isso como se não significasse absolutamente nada. Ao meu redor agora estava um maravilhoso e limpo céu azul, com um sol bem forte no meu rosto.

Muitos comparam a vida neste mundo de pecado com uma escuridão em que não conseguimos enxergar o caminho por onde passamos, podemos tropeçar e, sem dúvida, se estivéssemos pilotando um avião nesta metáfora, causaríamos um acidente gravíssimo, provavelmente fatal. A boa notícia é que não precisamos fazer isso tudo sozinho.

É claro que temos parentes, amigos, líderes de boa índole como referência, pessoas que tornam a nossa jornada mais tranquila e alegre. Mas me refiro a Cristo, que se oferece para ser nosso comandante, mesmo que não tenha nenhum outro viajante perto de nós. Ele tem toda a habilidade e os meios necessários para atravessar a tempestade da angústia, as nuvens da ansiedade, a neblina da solidão e o frio do desânimo. Quando você olhar pela janela novamente, o sol estará brilhando firme e forte no lindo céu azul, aquecendo seu rosto e trazendo paz à alma.

Naquela viagem de avião, eu cheguei ao meu destino em paz e segurança. Deixe Jesus guiar a sua vida, mesmo que você não possa enxergar o caminho. Confie no Piloto Divino, mesmo que você não consiga imaginar nenhuma solução para seus problemas. Porque com este comandante, você irá chegar ao seu destino em paz e segurança, e irá aproveitar a viagem eternamente.

Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum,

pois tu estás comigo...” (Salmo 23:4).

Maranata!!!

Vinícius Kümpel

Vinícius Kümpel

Líder Máster Avançado

Maringá/PR

Regional na Associação Norte Paranaense - USB