Deus é o centro da minha vida?Data de publicação: 10/10/2018

Deus é o centro da minha vida?

No estado do Mato Grosso, cidade de Cuiabá, existe um marco muito interessante. É o Centro Geodésico da América do Sul, levantado em 1909 a mando do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon. Este lugar está à mesmíssima distância do oceano Atlântico a leste e do oceano Pacífico a oeste, exatamente no centro do continente. Enquanto escrevo este texto, estou viajando por essa belíssima terra e fiz questão de conhecer esse marco. Claro que meu melhor amigo Jesus me acompanha em todas as minhas aventuras e neste lugar em especial eu compartilho com vocês a mesma pergunta que fiz a mim mesmo, a mais importante de todas. Será que Jesus ocupa o centro da minha vida? O meu principal objetivo como líder de desbravadores é garantir que Cristo esteja no centro da minha vida. É ter certeza que Deus é o primeiro nos meus pensamentos, nos meus planos, nas minhas palavras e ações. É fazer com que Ele faça parte de TODOS os meus planos e permitir que Ele comande as minhas decisões. Quando eu alcanço esse objetivo, então estou pronto para atuar em prol dos desbravadores e líderes sob a minha influência com a certeza de ter Cristo ao meu lado. E esse é o único segredo do sucesso verdadeiro neste amado ministério. E a pergunta que não quer calar é: COMO eu posso saber se Cristo é o centro da minha vida? A resposta é bem simples. Ele precisa ser o meu Deus e nada pode ocupar o lugar dEle. Cada vez que eu coloco algo ou alguém acima dEle, como se fosse mais importante que Ele, então eu tiro Cristo do centro da minha vida. Isso acontece sempre que eu me irrito com meu liderado e humilho-o em público; acontece quando eu ofendo um pai ou mãe ou ainda um ancião da igreja por discordar da maneira como conduzo as atividades do clube; acontece quando deixo de planejar adequadamente as atividades e chego à reunião despreparado, já que preferi dar mais importância a outros assuntos; acontece quando eu deixo de valorizar meu companheiro de ministério, me sinto “O” cara e não aceito que outro também participe, comande e receba elogios; acontece quando eu faço um evento ou cerimônia de qualquer jeito, só pra dizer que fiz alguma coisa, ou ainda a faço com tudo o que tenho direito, estendendo o tempo além da paciência de qualquer ouvinte, sem pensar se a mensagem correta está sendo entregue. Eu retiro meu Deus do centro da minha vida quando todas as minhas energias são utilizadas para criticar meus líderes, gritando aos 4 ventos que eles são irresponsáveis com os recursos que recebem ou que não organizam os eventos como deveriam; eu coloco ídolos acima de Cristo sempre que ameaço deixar o clube ou a igreja porque não recebi uma insígnia ou medalha ou porque não me deixaram ser investido em alguma classe só porque atrasei alguns dias ou deixei o trabalho faltando bem pouquinho pra terminar. Mas eu posso ter certeza de colocar o meu querido Jesus no lugar de honra na minha existência quando entendo que um passeio, um trunfo, um uniforme ou até uma crítica mais acalorada jamais podem me impedir de dedicar o meu melhor para que os desbravadores tenham a oportunidade de conhecer a Deus da maneira mais simples, profunda e significativa durante um acampamento, campori ou programa do Dia Mundial; ou ainda quando prefiro abrir mão de algum direito particular se isso for beneficiar de verdade os meninos e meninas sob minha orientação. Sei que Deus está em primeiro lugar na minha vida quando não deixo qualquer frustração pessoal tirar o meu foco do objetivo de “salvar do pecado e guiar no serviço”. Se você leu até aqui com atenção, percebeu que estou realmente preocupado em entender de maneira prática como minhas ações podem demonstrar se Jesus é ou não o centro da minha vida. E também percebeu que todas essas ações, em maior ou menor intensidade, afetam outros ao meu redor. Quando eu retiro Cristo do centro da minha vida eu ainda posso estar me responsabilizando para que outros façam o mesmo. Como posso ainda achar que sou um servo de Deus e amigo de todos se acabo fazendo exatamente o oposto, me colocando como adversário de Deus e os afastando dEle? Amigos, por favor. Façam uma análise da sua vida e do seu ministério. Quem está ocupando o centro da sua vida? Um passeio ou um sermão? Uma medalha ou um batismo? Seu status ou um desbravador a mais na Nova Jerusalém? Seu conforto ou o sorriso sincero de gratidão do desbravador? Uma noite bem dormida e descansada ou aquelas horas de joelho no chão intercedendo por aqueles que você se comprometeu a cuidar? “Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração”. (Jeremias 29:13). “Por isso vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus". (Jeremias 30:22) Que Jesus seja sempre o centro de sua vida e tudo o mais será um sucesso aos olhos de Deus. Maranata!!!  
Vinícius Kümpel

Vinícius Kümpel

Líder Máster Avançado

Maringá/PR

Regional na Associação Norte Paranaense - USB