Uma professora horrívelData de publicação: 20/06/2020

Uma professora horrível

Eu tive uma professora horrível. Eu a odiava com todas as minhas forças. Ela me marcava e fazia questão de me mostrar o quão ruim eu era, mesmo que talvez não fosse verdade. Com olhos franzidos e fisionomia maligna, estava sempre disposta a me atormentar. Nada do que eu fazia estava correto. Eu não podia conversar ou ter amigos, nem fazer nenhuma tarefa em grupo que ela já aparecia para me importunar. Eu era perseguido e sempre que tinha contato com ela, me sentia a pior pessoa do universo. Achava que ninguém neste mundo mereceria ter uma professora assim. Eu nunca era bom o bastante para nada. Eu já tive aulas com ela em vários momentos da minha vida e reconheço que provavelmente ainda a encontrarei algumas outras vezes para novas lições.

Mas devo confessar que as lições que ela tentou me ensinar estão entre aquelas que eu jamais esquecerei. Elas me acompanharão por toda a minha vida. Além disso, tenho que admitir que essas lições foram fundamentais para que eu seja como sou hoje, fortalecendo meu caráter com determinação e empatia e me ensinando a ter resiliência, aquele forte sentimento que te faz reerguer a cada tropeço e te leva à ação, buscando motivação de onde parece não haver nenhuma.

Essa professora é a frustração.

Sabe quando você se prepara, estuda, trabalha duro, dá o seu melhor, se supera com intensa dedicação e força além do impossível, mas ainda assim o resultado é uma desgraça? Você se sente inútil, desqualificado, imprestável... É a frustração querendo te ensinar algo.

Sabe aquela pessoa que você ama e com quem você realmente se importa, e que parecia se importar com você também, mas te traiu, te desprezou, te decepcionou profundamente, se esqueceu de você, mentiu, roubou ou te feriu, te colocou pra baixo e pisou em cima dos seus sentimentos? Você se sente um lixo, mal amado, abandonado, sem valor, indigno e rejeitado... É a frustração invadindo sem pedir permissão, te mostrando que você ainda é humano, e que as pessoas ao seu redor também são.

Sabe aquele momento em que você sentiu que a vida não tem sentido, quando tudo e todos ao seu redor pareciam estar contra você, como se até a natureza conspirasse para que você sentisse que não devia fazer parte dela? Você se sente culpado sem nem mesmo saber de quê. Sua própria existência perde o valor. O peito parece vazio e o coração se transforma em pó e cinzas, como se sombras negras estivessem ao seu redor todo o tempo para te lembrar o quão indigno você é de receber alguma luz ou conforto. Nada te satisfaz, nada te alegra, seus sentidos se apagam. Seus maiores desejos e tudo o que ocupa seus pensamentos é fazer cessar esse sofrimento a qualquer custo. Você está frustrado com a própria vida e se sente mal por isso.

A frustração fará o possível para te ensinar a lidar com perdas e desilusões e, especialmente, em como seguir com a vida após os problemas. Ela te levará ao fundo do poço, se for necessário, para que você se erga novamente e perceba que a única solução é subir. Vai fazer com que entenda que foi necessário não ter sucesso para que volte a tentar com força de vontade e persistência suficientes para enfrentar e superar desafios maiores. A jornada da vida te levará a emoções mais e mais intensas com o passar do tempo e sem aprender essa importante lição só lhe resta sucumbir, se prostrar e permanecer na lama do fracasso. A cada infortúnio superado, você se ergue com mais firmeza de propósito, mais força e mais determinação. Você se porta com a mente mais limpa e aberta, o vigor recuperado e a fé renovada. É possível aproveitar melhor a paz e a satisfação que se seguem. E quando se sentir frustrado novamente, as cicatrizes passadas lhe lembrarão que tudo passa, até mesmo essa tal professora.

Ela ainda tenta te ensinar que você não é a única pessoa neste mundo, nem mesmo a melhor. Não tente se impor sobre alguém ou usar os defeitos de outra pessoa contra ela. Não queira diminuir alguém por qualquer característica que seja, nem por condição alguma, seja de saúde ou aspecto físico ou intelectual. Nenhuma circunstância te dá o direito de infringir a alguém o mesmo sentimento que você experimentou quando frustrado.

A frustração vai te separar das pessoas e fazer de tudo para que você se sinta sozinho. Ela quer te afastar e quer que você pare de acreditar em bons sentimentos, como alegria, paz, felicidade, simpatia e esperança. Esta última, de maneira muito especial, parece ser o maior foco dos ataques da frustração.

Por fim, a frustração quer te ensinar que quanto mais você tentar superar todas essas dificuldades e esses maus sentimentos sozinho, mais dependente será de suas aulas.

Amigo, todos neste mundo são ou já foram alunos dessa professora, pelo menos até aprendermos a lidar com essas situações desagradáveis. Em outros momentos, nós nos tornamos desagradáveis, afinal nós também podemos ser usados para frustrar outros, não é?

Felizmente, temos um outro professor, que está sempre ao nosso alcance e com quem podemos aprender lições para toda a eternidade. Ele não se importa com o horário, nem com sua cara de choro ou raiva (bem, ele se importa com o que você pode fazer com essa raiva). Ele pode dar um jeito no estrago que a frustração deixou em você. Ele já foi até chamado de Consolador. Jesus, o maior mestre que já passou por esse planetinha azul, deixou esse professor como seu substituto. Nós o conhecemos como Espírito Santo e Ele é Deus. Ele nos conforta (I Coríntios 1:4), nos ensina (João 14:26), nos orienta (João 16:13) e nos torna produtivos e úteis, mais do que podemos imaginar.

Sabe qual o resultado de prestarmos atenção a esse Consolador? “Amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio” (Gálatas 5:22 e 23).

Quais serão as próximas lições da sua vida? A qual professor você vai preferir ouvir e co quem vai aprender?

Vinícius Kümpel

Vinícius Kümpel

Líder Máster Avançado de Desbravadores

Maringá/PR

Regional ANP/USB