Uma tragédia inesperadaData de publicação: 13/07/2021

Uma tragédia inesperada

O Brasil é um país de dimensões continentais e de culturas bem diferenciadas. Um aniversário, ainda mais de criança, têm muitos pontos similares, desde a vela de aniversário até os doces tradicionais brasileiros. Mas algo que não pode faltar em inaugurações, aniversários e programas infantis é o balão. O balão (bexiga) é algo que crianças e adultos contemplam e pode até aparentar algo bem inofensivo. Será?

Em 1986, a cidade norte-americana de Cleveland tentou bater um recorde mundial inusitado e, aparentemente, inocente: o recorde mundial de maior número de balões cheios de gás hélio soltos ao mesmo tempo no céu.

Moradores encontraram-se em uma popular praça para assistir ou ajudar a colocar em prática aquele recorde. Inicialmente a visão de vários balões no céu foi algo lindo de se ver, mas, eles mal imaginaram que duas pessoas acabariam morrendo e animais se machucariam. Um prejuízo de milhões de dólares em ações judiciais e um terrível problema ambiental. Tudo isso aconteceu por causa de uma tempestade que se aproximou naquela hora e empurrou os balões de volta para o chão. Uma atitude inocente que, infelizmente, teve um final inesperado.

Logo no início da bíblia, lemos a história de Adão e Eva que comeram do fruto imaginando que não haveria consequências e, por fim, nos dias de hoje, somos frutos de algo. Apesar de muitos culparem o primeiro casal pelas tragédias futuras, o grande problema na humanidade não foram os grandes pecados cometidos, mas as pequenas coisas que acariciamos e que, infelizmente, nos apegamos achando que não será nada demais, mas que nos afastam ainda mais de Deus. Muitas das vezes, grandes pecados geram grandes arrependimentos, mas pequenos pecados são acariciados de tal forma que afastam o Espírito Santo de perto de nós. Devemos ter muito cuidado com falas como:

- Ouvi falar...
- Fiquei sabendo...
- Me disseram...
- É só hoje...
- É só um pouquinho...
- Não é nada demais...

A maioria dos pecados acariciados começa exatamente com essas palavras. Por isso, devemos orar sim, mas também agir para que as coisas erradas pequenas não sejam guardadas em nosso coração. Deus não possui uma tabela de graus de pecados. Para Deus, não há diferença se o pecado é grande ou pequeno. Sim, pecados grandes geram consequências grandes, porém, quando você começa a achar que um pecado não pode ter consequências por ser algo inofensivo para si e talvez até fácil de acobertar, é aí que os joelhos no chão precisam ser mais intensificados. Vamos orar meu querido líder, mas também vamos vigiar. A volta de Cristo está próxima e não vamos deixar que pequenos prazeres temporários afastem-no da maior festa da história do universo.

Rafael Oliveira

Rafael Oliveira

Líder de Aventureiros e Desbravadores

Rio de Janeiro/RJ

Regional ARS/USeB